«O nome MUROS pretende sublinhar de forma evidente a ideia da obstaculização que o ser humano cria, e que nos retira a capacidade de nos focarmos e caminhar no sentido do que é, realmente, mais importante. O logótipo surge como chamada de atenção, sendo, no limite, um forte apelo em formato de grito. O projeto MUROS considera que é urgente refletir sobre o mundo, desde logo, o que está à nossa porta e que se nos apresenta com enormes problemas para os quais é preciso ter foco para os resolver, sob pena de adensarmos esses mesmos problemas e tornarmo-nos indiferentes à sua dimensão e consequências. Sendo neste mundo que vivemos é sobre este que queremos atuar, promovendo um sentimento comunitário de atuação e promoção de uma vida digna de todos. No caso do MUROS, o poder da palavra será determinante no trabalho a que o projeto se propõe no «mundo» Eurorregião Alentejo, Algarve, Andaluzia. Se atentarmos ao próprio nome do projeto este é dito de igual modo em português e em castelhano no objetivo de que a mensagem passe de forma clara e inequívoca. O diálogo será a ferramenta primordial em prol da união dentro das três regiões, dos dois países, que constituem a Eurorregião, bem como destas para o exterior.»

Susana Helena de Sousa, autora do projeto [ver Curriculum Vitae]
Fotografia: Eduardo Pinto

Pode seguir-nos nas seguintes plataformas:

«O nome MUROS pretende sublinhar de forma evidente a ideia da obstaculização que o ser humano cria, e que nos retira a capacidade de nos focarmos e caminhar no sentido do que é, realmente, mais importante. O logótipo surge como chamada de atenção, sendo, no limite, um forte apelo em formato de grito. O projeto MUROS considera que é urgente refletir sobre o mundo, desde logo, o que está à nossa porta e que se nos apresenta com enormes problemas para os quais é preciso ter foco para os resolver, sob pena de adensarmos esses mesmos problemas e tornarmo-nos indiferentes à sua dimensão e consequências. Sendo neste mundo que vivemos é sobre este que queremos atuar, promovendo um sentimento comunitário de atuação e promoção de uma vida digna de todos. No caso do MUROS, o poder da palavra será determinante no trabalho a que o projeto se propõe no «mundo» Eurorregião Alentejo, Algarve, Andaluzia. Se atentarmos ao próprio nome do projeto este é dito de igual modo em português e em castelhano no objetivo de que a mensagem passe de forma clara e inequívoca. O diálogo será a ferramenta primordial em prol da união dentro das três regiões, dos dois países, que constituem a Eurorregião, bem como destas para o exterior.»

Susana Helena de Sousa, autora do projeto [ver Curriculum Vitae]
Fotografia: Eduardo Pinto

Pode seguir-nos nas seguintes plataformas:

«O nome MUROS pretende sublinhar de forma evidente a ideia da obstaculização que o ser humano cria, e que nos retira a capacidade de nos focarmos e caminhar no sentido do que é, realmente, mais importante. O logótipo surge como chamada de atenção, sendo, no limite, um forte apelo em formato de grito. O projeto MUROS considera que é urgente refletir sobre o mundo, desde logo, o que está à nossa porta e que se nos apresenta com enormes problemas para os quais é preciso ter foco para os resolver, sob pena de adensarmos esses mesmos problemas e tornarmo-nos indiferentes à sua dimensão e consequências.

Sendo neste mundo que vivemos é sobre este que queremos atuar, promovendo um sentimento comunitário de atuação e promoção de uma vida digna de todos. No caso do MUROS, o poder da palavra será determinante no trabalho a que o projeto se propõe no «mundo» Eurorregião Alentejo, Algarve, Andaluzia. Se atentarmos ao próprio nome do projeto este é dito de igual modo em português e em castelhano no objetivo de que a mensagem passe de forma clara e inequívoca. O diálogo será a ferramenta primordial em prol da união dentro das três regiões, dos dois países, que constituem a Eurorregião, bem como destas para o exterior.»

Susana Helena de Sousa, autora do projeto [ver Curriculum Vitae]
Fotografia: Eduardo Pinto

Pode seguir-nos nas seguintes plataformas:

«O nome MUROS pretende sublinhar de forma evidente a ideia da obstaculização que o ser humano cria, e que nos retira a capacidade de nos focarmos e caminhar no sentido do que é, realmente, mais importante. O logótipo surge como chamada de atenção, sendo, no limite, um forte apelo em formato de grito. O projeto MUROS considera que é urgente refletir sobre o mundo, desde logo, o que está à nossa porta e que se nos apresenta com enormes problemas para os quais é preciso ter foco para os resolver, sob pena de adensarmos esses mesmos problemas e tornarmo-nos indiferentes à sua dimensão e consequências.

Sendo neste mundo que vivemos é sobre este que queremos atuar, promovendo um sentimento comunitário de atuação e promoção de uma vida digna de todos. No caso do MUROS, o poder da palavra será determinante no trabalho a que o projeto se propõe no «mundo» Eurorregião Alentejo, Algarve, Andaluzia. Se atentarmos ao próprio nome do projeto este é dito de igual modo em português e em castelhano no objetivo de que a mensagem passe de forma clara e inequívoca. O diálogo será a ferramenta primordial em prol da união dentro das três regiões, dos dois países, que constituem a Eurorregião, bem como destas para o exterior.»

Susana Helena de Sousa, autora do projeto [ver Curriculum Vitae]
Fotografia: Eduardo Pinto

Pode seguir-nos nas seguintes plataformas:

MUROS participou na «Aldeia da Inovação Social»: o maior encontro de Inovação Social do país

Ter ideias para combater o despovoamento do Interior não é um processo simples. Da nossa parte podemos dizer mesmo que é, extremamente, complexo. Não apenas pelos contornos do problema, mas também pela necessária consciência que temos de ter face ao muito que já foi e está a ser experimentado. Inovar não representa, necessariamente, fazer algo estonteante. É ser inventivo num contexto real e perceber o que faz sentido para determinada resolução de um problema. Fazer o que ainda não foi feito, mas que fará toda a diferença para melhor na vida das pessoas. Na bonita Aldeia da Luz, concelho de Mourão, no Alentejo, durante o maior encontro de Inovação Social do país, reforçámos convicção de que é preciso trabalhar a comunidade antes de qualquer outro intento. Há muito ainda por experimentar e proporcionar sempre numa relação direta e honesta com as pessoas que ocupam os territórios. Elas sabem o que precisam e por onde passa o caminho. Temos de as seguir e colaborar com as ferramentas de trabalho e conhecimento que estão ao nosso alcance. Partindo deste pressuposto ganhamos uns passos de avanço no intento!

No âmbito da Aldeia da Inovação Social já tivemos oportunidade de agradecer, pessoalmente, à  estrutura do Portugal Inovacao Social pela oportunidade em viver três dias intensos dedicados à inovação social. Gratidão é também a palavra certa para deixar à IES Social Business School, pois abriram-nos as portas à experiência e ao que essa nos trouxe aos vários níveis. Foi grande a aprendizagem que fizemos com a equipa de professores e com todos os finalistas do Ideation Bootcamp «Soluções para combater o despovoamento do Interior». Lancemos as sementes e reguemos para dar frutos. É um modelo clássico e não nos desilude.

Da linda Aldeia da Luz viemos de coração cheio pelo que vimos e ouvimos. Para além de participar enquanto finalistas do Ideation Bootcamp e de desfrutar de inúmeros palcos do certame, foi-nos proporcionados muitos momentos de escuta atenta e também ativa. Mas a cereja no topo do bolo do nosso projeto e a sua incursão neste evento foi tornar-se possível entabular inúmeras conversas com as pessoas responsáveis por inúmeros projetos presentes no evento. E que pessoas. E que projetos. A inovação social está a viver um caminho de desenvolvimento sustentável; seguro e promissor. Da nossa parte iremos seguindo o nosso com as convições que nos movem e com a vontade de conhecer sempre mais e mais pessoas pessoas que, realmente, fazem a diferença na vida de muitas.

MUROS participou na «Aldeia da Inovação Social»: o maior encontro de Inovação Social do país

Ter ideias para combater o despovoamento do Interior não é um processo simples. Da nossa parte podemos dizer mesmo que é, extremamente, complexo. Não apenas pelos contornos do problema, mas também pela necessária consciência que temos de ter face ao muito que já foi e está a ser experimentado. Inovar não representa, necessariamente, fazer algo estonteante. É ser inventivo num contexto real e perceber o que faz sentido para determinada resolução de um problema. Fazer o que ainda não foi feito, mas que fará toda a diferença para melhor na vida das pessoas. Na bonita Aldeia da Luz, concelho de Mourão, no Alentejo, durante o maior encontro de Inovação Social do país, reforçámos convicção de que é preciso trabalhar a comunidade antes de qualquer outro intento.

Ter ideias para combater o despovoamento do Interior não é um processo simples. Da nossa parte podemos dizer mesmo que é, extremamente, complexo. Não apenas pelos contornos do problema, mas também pela necessária consciência que temos de ter face ao muito que já foi e está a ser experimentado. Inovar não representa, necessariamente, fazer algo estonteante. É ser inventivo num contexto real e perceber o que faz sentido para determinada resolução de um problema. Fazer o que ainda não foi feito, mas que fará toda a diferença para melhor na vida das pessoas. Na bonita Aldeia da Luz, concelho de Mourão, no Alentejo, durante o maior encontro de Inovação Social do país, reforçámos convicção de que é preciso trabalhar a comunidade antes de qualquer outro intento.

Há muito ainda por experimentar e proporcionar sempre numa relação direta e honesta com as pessoas que ocupam os territórios. Elas sabem o que precisam e por onde passa o caminho. Temos de as seguir e colaborar com as ferramentas de trabalho e conhecimento que estão ao nosso alcance. Partindo deste pressuposto ganhamos uns passos de avanço no intento!
No âmbito da Aldeia da Inovação Social já tivemos oportunidade de agradecer, pessoalmente, à  estrutura do Portugal Inovacao Social pela oportunidade em viver três dias intensos dedicados à inovação social. Gratidão é também a palavra certa para deixar à IES Social Business School, pois abriram-nos as portas à experiência e ao que essa nos trouxe aos vários níveis. Foi grande a aprendizagem que fizemos com a equipa de professores e com todos os finalistas do Ideation Bootcamp «Soluções para combater o despovoamento do Interior». Lancemos as sementes e reguemos para dar frutos. É um modelo clássico e não nos desilude.

Da linda Aldeia da Luz viemos de coração cheio pelo que vimos e ouvimos. Para além de participar enquanto finalistas do Ideation Bootcamp e de desfrutar de inúmeros palcos do certame, foi-nos proporcionados muitos momentos de escuta atenta e também ativa. Mas a cereja no topo do bolo do nosso projeto e a sua incursão neste evento foi tornar-se possível entabular inúmeras conversas com as pessoas responsáveis por inúmeros projetos presentes no evento. E que pessoas. E que projetos. A inovação social está a viver um caminho de desenvolvimento sustentável; seguro e promissor. Da nossa parte iremos seguindo o nosso com as convições que nos movem e com a vontade de conhecer sempre mais e mais pessoas pessoas que, realmente, fazem a diferença na vida de muitas.

MUROS participou na «Aldeia da Inovação Social»: o maior encontro de Inovação Social do país

Ter ideias para combater o despovoamento do Interior não é um processo simples. Da nossa parte podemos dizer mesmo que é, extremamente, complexo. Não apenas pelos contornos do problema, mas também pela necessária consciência que temos de ter face ao muito que já foi e está a ser experimentado. Inovar não representa, necessariamente, fazer algo estonteante. É ser inventivo num contexto real e perceber o que faz sentido para determinada resolução de um problema. Fazer o que ainda não foi feito, mas que fará toda a diferença para melhor na vida das pessoas. Na bonita Aldeia da Luz, concelho de Mourão, no Alentejo, durante o maior encontro de Inovação Social do país, reforçámos convicção de que é preciso trabalhar a comunidade antes de qualquer outro intento. Há muito ainda por experimentar e proporcionar sempre numa relação direta e honesta com as pessoas que ocupam os territórios. Elas sabem o que precisam e por onde passa o caminho. Temos de as seguir e colaborar com as ferramentas de trabalho e conhecimento que estão ao nosso alcance. Partindo deste pressuposto ganhamos uns passos de avanço no intento!
No âmbito da Aldeia da Inovação Social já tivemos oportunidade de agradecer, pessoalmente, à  estrutura do Portugal Inovacao Social pela oportunidade em viver três dias intensos dedicados à inovação social. Gratidão é também a palavra certa para deixar à IES Social Business School, pois abriram-nos as portas à experiência e ao que essa nos trouxe aos vários níveis. Foi grande a aprendizagem que fizemos com a equipa de professores e com todos os finalistas do Ideation Bootcamp «Soluções para combater o despovoamento do Interior». Lancemos as sementes e reguemos para dar frutos. É um modelo clássico e não nos desilude.

Da linda Aldeia da Luz viemos de coração cheio pelo que vimos e ouvimos. Para além de participar enquanto finalistas do Ideation Bootcamp e de desfrutar de inúmeros palcos do certame, foi-nos proporcionados muitos momentos de escuta atenta e também ativa. Mas a cereja no topo do bolo do nosso projeto e a sua incursão neste evento foi tornar-se possível entabular inúmeras conversas com as pessoas responsáveis por inúmeros projetos presentes no evento. E que pessoas. E que projetos. A inovação social está a viver um caminho de desenvolvimento sustentável; seguro e promissor. Da nossa parte iremos seguindo o nosso com as convições que nos movem e com a vontade de conhecer sempre mais e mais pessoas pessoas que, realmente, fazem a diferença na vida de muitas.

``A palavra (escrita, falada, documentada, pintada, fotografada...) será o trunfo para a nobre função de identificar e derrubar os muros que entropeçam a vida de todos nós. Será através da palavra que seguiremos o caminho da promoção das competências de cidadania ativa e formação para um empoderamento comunitário. Ver além das diferenças, atuar unidos além dos muros que nos separam!``

Entrevistas

Artigos

«Preocupante»: Avaliação do investimento para eficiência hídrica na agricultura do Algarve

No PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] português existe um «Plano Regional de Eficiência Hídrica do Algarve» onde se insere uma submedida com o nome «SM2 – Reduzir perdas de água e aumentar a eficiência no setor agrícola». No relatório mais recente, publicado no final do ano de 2023, pode ler-se que a apreciação feita […]

Jovens de Loulé vão debater «Cartas a uma ditadura» num Portugal obscuro

Em ano de celebração do 50.º aniversário do 25 de Abril o nosso projeto MUROS vai estar a moderar uma mesa redonda dedicada a analisar o filme «Cartas a uma ditadura», da autoria de Inês de Medeiros, que devolve à luz do dia um lado muito obscuro de Portugal no tempo de Salazar. A projeção […]

Algarve: uma «região rica» com a taxa de pobreza acima da média nacional

O Algarve “esconde” muitas desigualdades sociais. Ou por outra, o Algarve é aquela região de sonho na época alta, mas que durante a época baixa do ano [e que é muito longa] dorme acordada; em sobressalto, em sobrevivência. Se repararmos somos poucos os que ocupamos o nosso lugar a Sul, e para além de sermos […]

Imaginar o futuro do Algarve e do Alentejo com tempo e espaço em Loulé

Nos dias 15 e 16 de dezembro o programa «Cenários Futuros», da Odisseia Nacional do Teatro Nacional D. Maria II, vai ter lugar em Loulé, no Algarve. O programa, em parceria com o Plano Nacional das Artes, conta com Mesas Redondas, Fóruns, Debates e Showcases,com o propósito de observar as práticas artísticas dos mais jovens, colocando […]

Opinião

Ajuda-nos a refletir sobre o mundo!

Trata-se de um projeto em fase inicial e que pretende ser sustentável. Estamos a desenvolver candidaturas a diversos fundos de apoio e uma incursão junto das mais variadas empresas e entidades de modo a apresentarmo-nos e tentar a nossa sorte, também, no que diz respeito a patrocínios.

Um dia de cada vez e à nossa medida, sem dúvida! Confiamos que com trabalho e determinação teremos retorno para derrubar os muros que entropeçam o desenvolvimento da nossa sociedade; tão nossa, tão por nós ocupada e construída.

Ajuda-nos a refletir sobre o mundo!

Trata-se de um projeto em fase inicial e que pretende ser sustentável. Estamos a desenvolver candidaturas a diversos fundos de apoio e uma incursão junto das mais variadas empresas e entidades de modo a apresentarmo-nos e tentar a nossa sorte, também, no que diz respeito a patrocínios.

Um dia de cada vez e à nossa medida, sem dúvida! Confiamos que com trabalho e determinação teremos retorno para derrubar os muros que entropeçam o desenvolvimento da nossa sociedade; tão nossa, tão por nós ocupada e construída.

Ajuda-nos a refletir sobre o mundo!

Trata-se de um projeto em fase inicial e que pretende ser sustentável. Estamos a desenvolver candidaturas a diversos fundos de apoio e uma incursão junto das mais variadas empresas e entidades de modo a apresentarmo-nos e tentar a nossa sorte, também, no que diz respeito a patrocínios.

Um dia de cada vez e à nossa medida, sem dúvida! Confiamos que com trabalho e determinação teremos retorno para derrubar os muros que entropeçam o desenvolvimento da nossa sociedade; tão nossa, tão por nós ocupada e construída.

Muros_SusanaHelenadeSousa_Patrocina

Fica a par de todas as novidades e acontecimentos

Subscreve-te à nossa newsletter

muros-section-projects

No que nos envolvemos

Projetos

Alguns dos projetos em que o MUROS tem participado.

Formação UBUNTU «Liderança Servidora»
Formação UBUNTU «Liderança Servidora»

(PODCAST) O muro da indiferença pode [e deve] ser substituído pela ponte da compaixão
(PODCAST) O muro da indiferença pode [e deve] ser substituído pela ponte da compaixão

Vamos reacender a chama da Cidadania Participativa!?
Vamos reacender a chama da Cidadania Participativa!?

Algarve, Sociedade, União Europeia

A pensar nos jovens vamos para «A Rua da Europa»
A pensar nos jovens vamos para «A Rua da Europa»

Algarve, Europa, Rádio

«Diálogos na Região: O que a Europa faz por mim», organizados pela In Loco e Europe Direct Algarve
«Diálogos na Região: O que a Europa faz por mim», organizados pela In Loco e Europe Direct Algarve

Algarve, Europa

Ciclos «Rotas da Empregabilidade» 2021 organizadas pela Casulo, Rede Europeia Anti-Pobreza no Algarve e Município de Loulé
Ciclos «Rotas da Empregabilidade» 2021 organizadas pela Casulo, Rede Europeia Anti-Pobreza no Algarve e Município de Loulé

Algarve, Emprego

Noite Europeia dos Investigadores no Algarve em 2022
Noite Europeia dos Investigadores no Algarve em 2022

Algarve, Noite Europeia

Participação na campanha de informação sobre a certificação do Sal Biológico na União Europeia
Participação na campanha de informação sobre a certificação do Sal Biológico na União Europeia

Produção, União Europeia

Andalusíadas Jovens 2022: uma reflexão para o debate com jovens, políticos e empresários da Eurorregião AAA
Andalusíadas Jovens 2022: uma reflexão para o debate com jovens, políticos e empresários da Eurorregião AAA

Castro Marim, Futuro

Participação na elaboração de candidaturas a fundos europeus: «Pan-European Civil society engagement grants – European Elections 2024» e «Shift» do programa «Erasmus+ Small Scale Partnerships»
Participação na elaboração de candidaturas a fundos europeus: «Pan-European Civil society engagement grants – European Elections 2024» e «Shift» do programa «Erasmus+ Small Scale Partnerships»

Candidatura, Erasmus+, Sociedade

Entra em contacto connosco

Queres saber mais sobre o projeto?
Entra em contacto connosco!

E-mail

geral@muros.online

Telefone

+351 964 211 557

Chamada para a rede móvel nacional

Obrigado pelo email!

A mensagem foi enviada com sucesso. Entraremos em contacto em breve.
Bom dia.